Infinite Maze — blog

Projeto Sailor Drops

Oi, pessoal! Já estava mais que na hora de eu escrever meu primeiro post por aqui! Pra quem não sabe, meu nome é Gabriela e estarei aqui como colaboradora no blog da Emmy, contando-lhes um pouco sobre nossos projetos coletivos e dando algumas dicas sobre ilustração.

Este primeiro post será a respeito da nossa parceria através do projeto Sailor Drops. Acho que a maioria de nós, nascidos no final dos anos 80-início dos 90, tivemos como grande influência artística os desenhos japoneses que passavam na extinta Manchete, Band e depois migraram pra os canais de TV a cabo, como o Cartoon Network e para o também extinto Fox Kids. Não tem como negar: foram eles que me impulsionaram a pegar lápis, borracha e começar meus primeiros rabiscos.

As Sailors nos anos 90.

Para as meninas, Sailor Moon foi um grande divisor de águas: um grupo de super heroínas com roupas e cabelos lindos e uma história contínua com um desfecho, ao contrário da maioria dos desenhos americanos. As personagens eram (e ainda são!) cativantes e todo mundo se identificava com uma delas. Pensando a respeito de como Sailor Moon impactou nossa infância, decidimos, cada uma de nós, desenhar as nossas versões das Sailors. Demos o nome do projeto de Sailor Drops pois a Emmy é viciada no joguinho pro celular, e eu sempre peço pra ela me mandar os wallpapers que ela consegue ganhar quando vence as fases (hehe).

De início, cada uma ficou com diferentes Sailors. Quando terminarmos as nossas escolhidas, trocaremos os modelos. Fiquei com Plutão, Júpiter, Mercúrio, Marte e Urano. Estes que mostro aqui foram os meus desenhos iniciais, agora preciso fazer as outras. Minhas versões  possuem tatuagens e piercings. Quero que elas fiquem bem a minha cara. Como cenário, fiz os planetas correspondentes de cada uma junto a nebulosas (pra quem nunca viu meus desenhos costumo fazer muita pintura envolvendo esta temática). Gosto mais de explorar as feições e expressões das personagens, ao contrário dos desenhos da Emmy, que focam numa composição mais completa, com roupas mais detalhadas.

Para a ilustração, usei papel para aquarela Canson Montval. Já testei o Archés e, apesar do hyper em cima desse papel, detestei usá-lo — quando desenho nele e apago, o papel esfarela todo, e olha que não apago muito (mas uma borrachinha ali e a folha já era). Prefiro o Montval, porque ele aguenta borracha, as mil camadas de tinta que uso em cima, e é o mais barato e bom em relação ao custo e ao tipo de pintura que costumo fazer. É meu queridinho ♥.

Em relação às tintas, usei a paleta de aquarela da Sennelier para fazer a pele e as tatuagens. No cabelo, usei os lápis de cor aquareláveis Albrecht Dürer da Fabber Castell (a Emmy já fez uma resenha sobre eles, aqui). Eles são bastante pigmentados e deslizam no papel como uma cera. O único problema é terem a ponta muito grossa, o que dificulta para fazer detalhes. Para dar o brilho no cabelo, usei também tinta acrílica branca e caneta gel branca.

No céu, usei as aquarelas líquidas da Ecoline e P.H Martins. São tintas super concentradas e as cores parecem que saltam do papel. Para o efeito da nebulosa, costumo misturar elas com acrílica branca, que dá este efeito leitoso e colorido no céu. No fundo escuro, usei aquarela Sennelier preta junto à Ecoline azul da prússia, que é um azul bem fechado. Por último, respinguei com o pincel nanquim branca da Bombay para fazer as estrelas.

Na próxima semana, a Emmy irá postar os desenhos dela. Espero que tenham curtido a proposta do projeto!

♦ Assine nossa news para receber uma mensagem com o próximo post ♦








Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar :D

Notificar-me de
avatar
wpDiscuz

Já vai?! Se gostou desse post,

deixe seu e-mail, para enviarmos uma mensagem assim que tivermos conteúdo novo:


♦ Ou, compartilhe este post com seus amigos ♦

Send this to a friend