Infinite Maze — {Emmy's blog}

Polychromos — Faber Castell

Há meses estou planejando publicar esta resenha, e finalmente, agora, consegui finalizar. De certa forma, acho que até foi bom meu pequeno (pequeno? /risos) atraso, pois já consegui utilizar minha paleta em muitos trabalhos e tenho absoluta certeza de que são os melhores lápis de cor que existem. Quer saber por quê? Então vamos lá.

Polychromos é a linha de lápis de cor profissional da Faber Castell. Eles vêm com a proposta de serem permanentes, resistentes à água, não esfumar e possuírem pontas muito resistentes. Depois de um ano de uso, posso confirmar tudo isso. Inclusive, as pontas são tão resistentes, que nunca quebraram ao cair no chão (e infelizmente deixo isso acontecer frequentemente). Isso também faz com elas sejam bem fáceis de apontar com estilete, já que, juntamente com a madeira macia, não é necessário aplicar força que poderia fazer a ponta se quebrar.

Polychromos x Albrecht Dürer

As cores são as mesmas, pela nomenclatura, que as paletas Albrecht Dürer (AD). Como dessa última tenho apenas a de 36, não tenho como comparar todas, mas já posso ter uma idéia concreta da comparação entre as cores. Os Polychromos têm as cores muito vibrantes, de fácil aplicação, mas não chegam a ser tão pigmentados quando os aquareláveis AD. Na imagem a seguir tem alguns exemplos:

Comparação entre algumas cores. Infelizmente a digitalização nunca fica perfeita, mas consegui deixar eles bem próximos do real. Fica evidente que as cores entre as duas paletas são praticamente idênticas.

Ainda assim, os Polychromos oferecem uma ótima cobertura, principalmente a partir da segunda camada de cor. E a minha parte favorita: ele aceita infinitas camadas, e a cor continua mesclando perfeitamente com as que estão embaixo. Claro que infinitas é um modo figurativo de falar, mas, até agora, em todos os meus trabalhos, consegui aplicar muitas camadas mesmo. Até quando a área parece saturada, na qual um lápis escolar não surtiria mais efeito algum, é possível aplicar cores com traços em pressão média.

Detalhe da pintura de Áries

Nessa pintura de Áries, utilizei o papel Hanehmühle Leonardo 600g acetinado(hot pressed). Inúmeras camadas de lápis de cor me ajudaram a definir os chifres, marcar bem todas as sombras, e, apenas no final aplico algumas luzes com tinta branca.

Resultado

Nas minhas pinturas com lápis de cor, eu gosto de anular completamente (ou tanto quanto possível) a textura do papel. O jeito mais eficiente de fazer isso é usando, obviamente, um papel liso. Mas, ainda assim, dependendo da pressão utilizada, a textura característica da pintura com lápis aparece. Por isso, sempre procuro utilizar mais de uma camada em todas as áreas do desenho, e, conforme me aproximo do resultado que quero, aplico a última camada com maior pressão, para fechar completamente todos os mínimos espaços brancos que ainda poderiam estar lá.

Exemplo de um desenho em que apliquei realmente MUITAS camadas. Apenas o fundo é aquarela.

Resistência à luz

A classificação de resistência à luz (lightfastness) dos lápis Faber-Castell se dão da seguinte forma:

*** = Resistência máxima. Quer dizer que a cor da pintura dura 100 anos ou mais sem desbotar.
** = Resistência muito boa. Dura 25 anos ou mais sem desbotar.
* = Resistência boa. Dura 5 anos ou mais sem desbotar.

A grande maioria dos Polychromos são classificados com resistência máxima (***), que são 102 deles. Apenas 2 são classificados com resistência de apenas 5 anos ou mais, que são as cores #119 Light Magenta, e #155 Manganese Violet.

A seguir, montei a tabela da Faber Castell toda em pdf, a partir do original do site da marca, com os espaços para pintar a tabela de cores (isso agiliza muito na hora de pintar os desenhos).

Conclusões e presente para download

Vou reafirmar o que disse no início dessa resenha: Polychromos são os melhores lápis de cor do mundo. Já testei várias marcas, e esses são, sem dúvida, os que me deixaram mais satisfeita com o resultado (e olha que sou uma pessoa chata). Comprei a paleta de 60 cores e, quem sabe um dia eu ganhe de presente invista em uma de 120. Mas, no momento, as 60 cores são mais que suficientes; mesmo por que ela contém algumas matizes que não uso (e acho que nunca vou usar), e até já substituí elas com cores avulsas que encomendei da paleta de 120.

Paleta 60 original

Meu conjunto personalizado ♥

Como eu uso eles MUITO, as minhas cores preferidas já estão bem pequenas, mas por isso mesmo aproveitei para encomendar 3 a 5 unidades de cada uma. Inclusive, recomendo a compra de lápis avulsos em sites internacionais, pois o preço aqui no BR está exorbitante.

E também, mudei o padrão de tabela de cores que eu apresentei nas minhas primeiras resenhas. Fiz algo mais funcional agora, que pode ser baixado, impresso e pintado de acordo com as cores que você tem. Ficaram pequenas, mas é só uma referência rápida que deve caber na caixa (tem que dobrar uma vez).

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR A SUA ♥

Então, o que acharam? Se faltou alguma consideração que vocês queiram saber, ou acrescentar, comentem aqui ou mandem mensagem; falar sobre materiais é um dos meus assuntos favoritos ♥

Avaliação Final — Faber Castell Albrecht Dürer:

Máximo de cores: 120 cores
Aquarelável: não
Mina: 3.8mm
Resistência à luz: 
Rendimento: star-4
Reposição avulsa: sim 
Opinião da Emmy: 

Fontes para este artigo: Faber-Castell

Subscribe to our newsletter and John & Sharon will visit your mailbox when we have a new post

Deixe um comentário

2 Comentários em "Polychromos — Faber Castell"

Notificar-me de
avatar
Rafael
Visitante

Em qual site internacional vc compra os lápis avulsos?

Send this to a friend